Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Instituto de Ciência e Tecnologia

Ciência e Tecnologia

Expandir todos   Recolher todos

ICT/UFVJM – Diamantina-MG – Biologia Celular – 2019

O curso de Ciência e Tecnologia (BCT) foi criado pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM) e regulamentado pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UFVJM em 2008. O BCT está vinculado ao Instituto de Ciência e Tecnologia (ICT) e teve sua primeira turma ingressante em 2009.

O BCT da UFVJM é um curso superior de graduação com características não profissionalizantes. A carga horária mínima necessária para a integralização é de 2.400 horas. Propõe-se que essas horas sejam cumpridas pelos discentes em 3 anos. Atualmente, são oferecidas 150 vagas semestrais no turno diurno no Campus de Diamantina. Por ofertar disciplinas básicas das principais áreas de conhecimento das ciências exatas e tecnológicas, o BCT contempla a formação básica comum a vários cursos dessas ciências, de forma que o estudante diplomado pode utilizar os créditos obtidos para uma futura formação em curso superior profissionalizante. Na UFVJM há um processo de transição implantado com a finalidade de organizar e simplificar a passagem do estudante formado no BCT para um curso de engenharia de sua escolha, sem a necessidade de reingresso via SiSU ou SASI. O processo de transição é regulamentado pela Resolução nº 21 de 6 de dezembro de 2011, do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CONSEPE, 2011).

O Curso na UFVJM

A UFVJM, ao aderir ao REUNI, assumiu o compromisso de buscar a excelência da qualidade do ensino, o que implica em investir em  recursos humanos, estrutura física e inserção regional. Novas formas de apropriação e construção do conhecimento associadas a novas estruturas curriculares também estavam associadas às propostas do REUNI, sendo que os BIs constituíam uma maneira natural de implementar essas propostas. Interdisciplinaridade e transdisciplinaridade, e a possibilidade de postergar especialização precoce dos estudantes de ensino superior estão entre as principais características dos BIs implantados nesse contexto. Essas características seguem as tendências mundiais para cursos das áreas de ciência exatas e tecnológicas, assim como coadunam com os Referenciais Orientadores para os Bacharelados Interdisciplinares e Similares, com as novas Diretrizes Curriculares Nacionais para cursos de Engenharia e com as propostas da Confederação Nacional da Indústria.   

No campus de Diamantina são oferecidos 4 cursos de engenharia para os quais o estudante formado no BCT pode realizar a transição direta: Engenharia de Alimentos, Engenharia Geológica, Engenharia Mecânica e Engenharia Química. Nos outros campi há ainda a oferta de outros 6 cursos que permitem a transição: Engenharia Civil, Engenharia Física, Engenharia Hídrica, Engenharia de Materiais, Engenharia de Minas e Engenharia de Produção. Na Figura 1 é apresentado o número de formandos no BCT e de ingressantes nos cursos de engenharia do Campus de Diamantina nos últimos 12 semestres.

Figura 1 – Formados no BCT e ingressantes nas engenharias do ICT.
Dados consolidados a partir dos Relatórios e Indicadores da Pró-reitoria de Graduação e do sistema informatizado de gestão acadêmica (e-Campus – UFVJM).

Nos últimos 12 semestres, formaram-se 511 discentes no BCT, o que corresponde a uma média entre 42 e 43 diplomados por semestre. Nos anos iniciais eram 120 vagas, mas, a partir do segundo semestre de 2014, com a implantação do curso de Engenharia Geológica no campus de Diamantina, o número de vagas ofertadas semestralmente no BCT passou para 150. A maior parte dos formandos tem optado por cursar um dos cursos de engenharia do próprio campus, mas alguns escolhem engenharias de outros campi e cursos de pós-graduação. Dentre os programas de pós-graduação da UFVJM, os programas de Biocombustíveis e de Química são os que mais recebem egressos do BCT, alguns diretamente após a conclusão do curso e outros após a conclusão, sobretudo, de Engenharia Química. Em 2016 foi implantado o programa de pós-graduação em Ciência e Tecnologia de Alimentos que também tem recebido egressos do BCT após a conclusão de Engenharia de Alimentos. O mesmo deve ocorrer com o programa de pós-graduação em Geologia, implantado recentemente.

Os cursos de engenharia do ICT oferecem ao todo 150 vagas. A diferença entre o número de concluintes do BCT e ingressantes nas engenharias varia significativamente entre os semestres, como mostra a Figura 1. Há também um significativo número de estudantes formados nos BCTs dos outros campi que escolhem as engenharias do ICT.

Ao longo dos primeiros anos de funcionamento do BCT, o número de docentes também foi sendo ampliado, sendo que hoje o quadro conta com 25 doutores e 8 mestres, totalizando 33 docentes. Algumas disciplinas específicas que compõem a estrutura curricular do BCT também são lecionadas por docentes dos cursos de engenharia do instituto, assim como algumas disciplinas das engenharias são lecionadas por docentes do curso de BCT.

Mercado de Trabalho

Ao concluir o curso Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia o estudante poderá seguir um caminho para se profissionalizar em um segundo ciclo nas áreas de engenharia ou de áreas conexas, ou atuar em áreas de nível superior envolvendo pesquisas, desenvolvimento e tecnologias no setor público ou privado, ou ainda empreender seu próprio negócio segundo as competências oferecidas durante a sua formação.

Perfil Profissional

Em concordância com o Referencial dos Bacharelados Interdisciplinares, com as DCNs das Engenharias e com o Perfil de Egresso, o curso pretende formar profissionais com as seguintes competências e habilidades:

  • Saber realizar pesquisa bibliográfica;
  • Atuar de forma empreendedora;
  • Analisar e compreender fenômenos físicos, químicos e biológicos;
  • Capacidade de verificar e validar modelos por meio de experimentação;
  • Capacidade de realizar tarefas e solucionar problemas, a partir de uma visão ampla e interdisciplinar;
  • Capacidade de trabalhar de forma articulada com as várias disciplinas e conhecimentos;
  • Capacidade de trabalhar em equipe e em redes de colaboração com características multidisciplinares;
  • Capacidade de se comunicar eficazmente nas formas escrita, oral e gráfica;
  • Ler e interpretar textos em uma língua estrangeira;
  • Exercer a atividade profissional com ética, respeitando a legislação vigente;
  • Capacidade de renovar, reorganizar e produzir seus conhecimentos e habilidades por meio de um processo autônomo de educação continuada;
  • Saber lidar com os desafios da inovação.

Perfil do Egresso

Ao concluir o curso Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia o egresso deverá ter adquirido uma formação superior generalista. O discente estará academicamente apto para ingressar em um curso de Engenharia, de Ciências Exatas e Tecnológicas ou mesmo em uma pós-graduação.

Em concordância com o Referencial Orientador dos Bacharelados Interdisciplinares, com as DCNs das Engenharias e com o perfil esperado de um profissional generalista, o curso Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia pretende formar egressos com o seguinte perfil

  • Ser capaz de aprender e atuar de forma autônoma;
  • Ser capaz de enfrentar desafios, reconhecer as demandas da sociedade, identificar, analisar e resolver problemas de forma criativa;
  • Ser capaz de analisar os problemas e propor soluções;
  • Pesquisar, desenvolver, adaptar e utilizar novas tecnologias;
  • Comunicar-se e argumentar em suas múltiplas formas;
  • Ter atitude investigativa, de busca e produção do conhecimento;
  • Ter habilidade para cooperar com profissionais de outras áreas;
  • Ter visão holística, humanista, crítica e reflexiva;
  • Ser capaz de realizar trabalho em equipe e em redes de colaboração;
  • Atuar de maneira ética;
  • Atuar de forma interdisciplinar, multidisciplinar e transdisciplinar;
  • Ter comprometimento com os aspectos políticos, econômicos, sociais e culturais locais, regionais e globais;
  • Saber reconhecer e respeitar a diversidade dos saberes e das diferenças;
  • Ter comprometimento com a segurança e de saúde no trabalho;
  • Ter comprometimento com a preservação do meio ambiente;
  • Ser comprometido com o desenvolvimento sustentável e a responsabilidade social;
  • Ser capaz de tomar decisões em situações de incertezas;
  • Ser capaz de atuar de forma inovadora e empreendedora;
  • Ter consciência da necessidade de formação continuada

Em suma, o egresso deverá articular teoria e prática, mobilizando-as de maneira eficiente e eficaz para atender as funções de natureza estratégica, tecnológica, ambiental e de sustentabilidade, requeridas nos processos de produção, demonstrando assim sua formação intelectual, cultural, criativa, reflexiva e transformadora.

Para atender as novas possibilidades e exigências do mercado de trabalho ou de continuidade acadêmica, a conclusão do bacharelado conferirá ao aluno o título de bacharel. Isso se dará sem prejuízo à continuidade de sua formação. Permitirá, também, a mobilidade estudantil, respeitadas as exigências de ordem administrativa e acadêmica necessárias.

Figura 2 – Opções de trajetórias para o egresso do BCT.

Atividades Complementares

A Resolução Nº. 47 ICT, de 30 de junho de 2017, estabelece normas para as Atividades Complementares do Curso de Ciência e Tecnologia (BCT), da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri – UFVJM. Tais normas foram retificadas pela Resolução Nº. 004/ICT, de 30 de Novembro de 2018.
Resolução 47 ICT – Normas de Atividades Complementares do BCT
Resolução 47 ICT – Anexo I
Resolução 47 ICT – Anexo II
Resolução 47 ICT – Anexo III
Resolução 04/2018 ICT – Retifica a Resolução N. 47/ICT

Estágio Não Obrigatório

A Resolução Nº. 002 ICT, de 30 de novembro de 2018, estabelece normas de Estágio obrigatório e não obrigatório aos discentes dos cursos de Bacharelado em Ciência e Tecnologia, Engenharia de Alimentos, Engenharia Mecânica e Engenharia Química do Instituto de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri – UFVJM, campus de Diamantina.
Resolução 02 2018 ICT – Normas Estágio dos cursos de BCT, Engenharias de Alimentos, Mecânica e Química
Resolução 02 2018 ICT – Anexo 1
Resolução 02 2018 ICT – Anexo 2
Resolução 02 2018 ICT – Anexo 3
Resolução 02 2018 ICT – Anexo 4
Resolução 02 2018 ICT – Anexo 5
Resolução 02 2018 ICT – Anexo 6
Coordenação de Estágio do Curso
Instruções da Coordenação de Estágio do curso de Ciência e Tecnologia

Trabalho de Conclusão de Curso

A Resolução Nº. 41 ICT, de 18 de agosto de 2016, estabelece normas para o Trabalho de Conclusão de Curso do Bacharelado em Ciência e Tecnologia do Instituto de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri – UFVJM, campus de Diamantina.
Resolução 41 ICT – Normas de TCC do BCT
Resolução 41 ICT – Anexo 1
Resolução 41 ICT – Anexo 2
Resolução 41 ICT – Anexo 3

Resolução nº 22 – Consepe , de 16/03/2017 – Normas TCC do Consepe
Manual de Normalizacão UFVJM 2016

Modelos

Modelo para elaboração de TCC (LibreOffice – versão reduzida)
Modelo para elaboração de TCC (LibreOffice – versão completa)
Guia para utilização dos modelos
Modelos criados pelo Prof. Dr. Thiago Parente Lima ( thiagopl@ict.ufvjm.edu.br), com base no Manual de Normalização da UFVJM, já adaptados para TCC e com textos explicativos. A versão reduzida possui apenas os elementos pré-textuais obrigatórios.

Modelo para elaboração de TCC (LaTex)
Editor de LaTex on-line
Modelo criado por servidores e alunos do ICT.

Os Trabalhos de Conclusão de Curso apresentados em anos anteriores podem ser consultados na secretaria do curso.

Projeto Pedagógico e Estrutura Curricular

Corpo Docente e Técnico Administrativo

Coordenação

Cadastro na lista Geral de Alunos do BCT

Para receber as comunicações da coordenação, cadastre-se no grupo de alunos do BCT: https://groups.google.com/d/forum/alunos-bct