Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri

Instituto de Ciência e Tecnologia

Engenharia Geológica

Expandir todos   Recolher todos

A Geologia é a ciência que estuda a origem, a composição, a estrutura e a evolução do planeta Terra, através dos produtos e processos geológicos que ocorrem no interior e na superfície da Terra e de outros corpos celestes. Pode-se considerar como produtos: os continentes, os fundos marinhos, as cadeias de montanhas, as bacias sedimentares, as rochas, os minerais, os fósseis, os solos, os minérios; e, dentre os processos: a migração dos continentes, os terremotos, o vulcanismo, a erosão de encostas, de vales e praias, além do assoreamento de rios e baías. O curso de Engenharia Geológica e o curso de Geologia formam geólogos.

O geólogo é o profissional habilitado para estudar e entender o meio físico terrestre e cada vez mais o extraterrestre, em razão dos materiais coletados e analisados em viagens espaciais, tripuladas ou não. São os geólogos que localizam recursos naturais como água, petróleo, gás natural, minérios e pedras preciosas.

Por muitos anos, o geólogo foi um profissional de campo (zona rural), atuando na pesquisa de minérios e de petróleo, na construção de hidrelétricas e no mapeamento geológico de áreas pouco habitadas, como a Amazônia. Atualmente é um profissional indispensável também nos centros urbanos, atuando na construção de pontes e túneis, no gerenciamento de problemas relacionados com a ocupação de vales e encostas e de contaminação do solo e da água, na procura e captação de água subterrânea e na escolha de locais adequados para a deposição do lixo. Seja no campo ou na cidade, o geólogo utiliza em seu ofício uma grande variedade de materiais, como imagens de satélites, fotografias aéreas, cartas topográficas, receptor GPS, bússola, martelo, lupa de bolso, microscópio, recursos computacionais, entre outros. Assim, para optar por essa profissão, o candidato deve ter um perfil misto, ou seja, deve gostar de atividades ao ar livre, ter espírito observador e crítico na coleta de dados de campo e gostar também de atividades de laboratório e de escritório, ser criterioso e meticuloso no tratamento dos dados coletados e na interpretação dos resultados obtidos.

O Curso na UFVJM

O Curso de Engenharia Geológica da UFVJM foi criado no 2° semestre de 2014, conforme Resolução Nº 12 – CONSU, 24 de abril de 2014; dispõe de uma estrutura curricular comum, envolvendo as disciplinas obrigatórias do BC&T,  e disciplinas específicas das geociências, compondo um total de cinco anos de curso.

Além de buscar a formação crítica do estudante, com base na formação inter e multidisciplinar, o diferencial do curso na UFVJM é justamente a localização geográfica da universidade. Uma vez que Diamantina está inserida no contexto geológico da Serra do Espinhaço e que a região é considerada como uma “bacia escola” devido a grande exposição rochosa, a diversidade litológica (tipos de rochas) e estrutural. Desta forma a região é única para aprendizado de geologia, tanto que a maioria das universidade brasileiras trazem seus alunos, a muitos anos, em Diamantina para estágios de mapeamento geológico e trabalhos de campo diversos. Estando situada sobre um patrimônio geológico e com diversos membros do corpo docente especialistas na região o curso de Engenharia Geológica da UFVJM, tem um carácter mais prático e voltado aos trabalhos de campo.

Considerando também que estamos numa região de beleza cénica incomparável, patrimônio da humanidade, bem como com diversas unidades de conservação estabelecidas (Parques e APA’s) os estudantes têm oportunidade de vivenciar as questões ambientais eminentes como: mineração X meio ambiente; planejamento e conservação de recursos hídricos; permitindo aos egressos atuarem na profissão com uma visão integrada do planeta incluindo sociedade, meio ambiente e uso sustentável dos recursos naturais.

A estrutura curricular é compatível com as exigências do BC&T, constituindo um outro diferencial para a formação dos engenheiros na UFVJM, a partir do qual os estudantes adquirem boa formação em ciências naturais e matemáticas, sem descuidar de aspectos sociais e filosóficos envolvidos no trabalho com ciência e tecnologia.

A carga horária mínima da Engenharia Geológica é de 4200 horas/aula, sendo integralizada em cinco anos, por 10 semestres em turno integral. O programa curricular apresenta 160 horas de estágios formais em, no mínimo, 3 diferentes áreas de atuação, com tutoria da própria empresa/órgão e supervisão do curso. As práticas de trabalhos de campo, incluindo mapeamentos geológicos, devem somar pelo menos 720 horas, a maior parte distribuída em atividades ligadas diretamente a diversas disciplinas do curso.

Atividades em laboratório também integram diversas disciplinas como práticas indispensáveis ao aprendizado de técnicas e métodos analíticos. Somam-se ainda 240 horas/aula em disciplinas eletivas, em quatro ênfases principais: Recursos Minerais; Recursos Energéticos; Meio Ambiente; e Geociências. Também é previsto a redação de trabalho de Conclusão de Curso (TCC), sobre tema de conteúdo geológico, de forma individual ou em grupo de dois estudantes. Seguindo o padrão do BC&T e na valorização da autonomia do estudante, não são estabelecidos pré-requisitos entre componentes curriculares, exceto as disciplinas de mapeamento geológico e do TCC que, por sua natureza, exigem a bagagem de informações e técnicas inerentes aos campos de conhecimento que permitem a execução de mapeamentos geológicos.

A estrutura física específica atual é constituída pelos seguintes laboratórios: Laboratórios de Mineralogia e Petrologias / Microscopia, com lito teca; Laboratório de Paleontologia, Laboratório de Cartografia, Topografia e Geodesia, Laboratórios de Estudos Tectônicos, Laboratórios de Espeleologia, Laboratório de Geoprocessamento, Laboratório de Geoquímica, Laboratório de Preparação de Amostras e Laminação; Laboratório de gemologia a lapidação minibiblioteca específica. Todos com acervos relativamente consideráveis. Podemos considerar também a estrutura física do ICT para apoio nas diversas atividades curriculares.

Atualmente o corpo docente conta atualmente com 11 professores efetivos e dois concursos em andamento, totalizando em 2017 treze docentes distribuídos nas diversas especialidades da geologia. A transição do BC&T para o curso de engenharia geológica será permitida a partir do 2° semestre de 2017.

Mercado de Trabalho

A demanda pelo Geólogo é crescente devido a necessidade da sociedade por recursos minerais, hídricos e energéticos, bem como de planejamento sustentável do uso e ocupação do solo. Pode optar entre o trabalho autônomo ou em empresas privadas e publicas que lidam com a exploração dos recursos minerais e naturais como água, rochas para o revestimento interno e externo, centros de pesquisa, órgãos de planejamento e gestão de recursos naturais.

As áreas em que se tem atuado com mais frequência são: Geologia Exploratória, que trata da descoberta de depósitos minerais, petróleo; Geologia Aplicada à Engenharia, como responsável pela construção de barragens, pontes, túneis e estradas; Hidrogeologia, referente à procura de água subterrânea; Geologia Ambiental, que trabalha com controle da poluição, proteção do meio ambiente e planejamento urbano e regional, e a Geologia Básica, que lida com mapeamento geológico, visando identificar áreas de geração e armazenamento de recursos minerais indispensáveis (petróleo, água, metais e outros minérios), áreas favoráveis à construção de represas ou outras obras de grande porte ou ainda áreas com risco de deslizamento.

Atualmente, embora exista um quadro recessivo no País, o profissional da Geologia tem mostrado um especial vigor em ocupar nichos inusitados de ação e vem desempenhando com grande versatilidade a profissão, em especial em organizações ambientais.

Perfil Profissional

A profissão de geólogo exige em geral pessoas com perfil aventureiro, desbravador e criativo. Uma vez que o objeto de estudo é o Planeta Terra, constantemente o profissional fará trabalhos de campo, viagens, e se deparará com diversas situações imprevistas e passíveis de risco, onde serão necessárias habilidades criativas e soluções imediatas para resolução dos problemas geológicos e muitas vezes de infraestrutura. É importante que o interessado no curso tenha afinidade com Matemática, Física e Química, disciplinas fundamentais no início e ao longo do curso.

As principais competências e habilidades dos egressos incluem:

  • Mapeamento geológico e trabalhos de prospecção e pesquisa para a avaliação de jazidas e determinação de seu valor econômico.
  • Planejamento e execução de projetos e pesquisas científicas básicas ou aplicadas para uso racional dos recursos naturais renováveis e não renováveis.
  • Pesquisa de novas alternativas de exploração, conservação e gerenciamento de recursos minerais, energéticos e hídricos.
  • Fornecimento das bases para o planejamento urbano e territorial, além da previsão e prevenção dos riscos de desastres naturais e daqueles provocados pela ação humana.
  • Emissão de parecer em assuntos legais e realização de perícias e arbitramentos relacionados com a especialidade.
  • Desenvolvimento de métodos de ensino e pesquisa em Geociências. 

Perfil do Egresso

O egresso do curso de Engenharia Geológica da UFVJM deverá ser capaz de abordar, com atitude investigativa e de análise de dados, questões de interesse estratégico para o país, no que tange a recursos naturais e uso e ocupação do território. Nesse sentido, o profissional formulará seus diagnósticos nos conhecimentos adquiridos e no uso de recursos analíticos, tecnológicos, incluindo sistemas computacionais e suas ferramentas de modelagem. A valorização da autonomia e da crítica são fundamentos para aplicação no desenvolvimento local, regional e nacional sustentáveis, contribuindo para a construção de uma sociedade mais justa e democrática.

Considerando alguns aspectos específicos, vale destacar que os seguintes atributos são desejáveis ao profissional formado no curso de Engenharia Geológica da UFVJM:

  • O compromisso com as práticas de construção do conhecimento e a ética profissional.
  • A interação com a esfera profissional e a manutenção dos princípios da cidadania.
  • Autonomia técnica e profissional.
  • Respeito à pluralidade no pensamento no campo das geociências e a interdisciplinaridade na construção do conhecimento.
  • Pleno domínio dos principais fundamentos do conhecimento da Engenharia Geológica, levando em consideração os aspectos filosóficos, teóricos e empíricos;
  • Capacidade de discorrer sobre as relações multiescalares dos principais fenômenos de interesse da Engenharia Geológica.
  • Constante aperfeiçoamento das habilidades gerais e específicas do conhecimento na engenharia engenharia e nas geociências.
  • Capacidade de elaboração de propostas com o intuito de criar novas soluções para as principais questões da Engenharia Geológica.       

Atividades Complementares

A Resolução Nº. 46 ICT, de 07 de abril de 2017, estabelece normas para as Atividades Complementares do Curso de Engenharia Geológica do Instituto de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, campus de Diamantina.
Resolução 46 ICT – Normas de Atividades Complementares Eng Geológica
Resolução 46 ICT – Anexo I
Resolução 46 ICT – Anexo II

Estágio Obrigatório

Trabalho de Conclusão de Curso

A Resolução Nº. 45 ICT, de 07 de abril de 2017, estabelece normas para o Trabalho de Conclusão de Curso do curso de Engenharia Geológica do Instituto de Ciência e Tecnologia da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri, campus de Diamantina.
Resolução 45 ICT – Normas de TCC Eng Geologica
Resolução 45 ICT – Anexo I
Resolução 45 ICT – Anexo II
Resolução 45 ICT – Anexo III
Resolução 45 ICT – Anexo IV
Resolução 45 ICT – Anexo V
Resolução 45 ICT – Anexo VI

Projeto Pedagógico e Estrutura Curricular

Corpo Docente e Técnico Administrativo

Coordenação